Mensagens aos Jovens (2004) - UNASP · PDF file Prefácio Em tempos antigos, quando...

Click here to load reader

  • date post

    06-Oct-2020
  • Category

    Documents

  • view

    1
  • download

    0

Embed Size (px)

Transcript of Mensagens aos Jovens (2004) - UNASP · PDF file Prefácio Em tempos antigos, quando...

  • Mensagens aos Jovens

    Ellen G. White

    2004

    Copyright © 2013 Ellen G. White Estate, Inc.

  • Informações sobre este livro

    Resumo

    Esta publicação eBook é providenciada como um serviço do Estado de Ellen G. White. É parte integrante de uma vasta colecção de livros gratuitos online. Por favor visite owebsite do Estado Ellen G. White.

    Sobre a Autora

    Ellen G. White (1827-1915) é considerada como a autora Ameri- cana mais traduzida, tendo sido as suas publicações traduzidas para mais de 160 línguas. Escreveu mais de 100.000 páginas numa vasta variedade de tópicos práticos e espirituais. Guiada pelo Espírito Santo, exaltou Jesus e guiou-se pelas Escrituras como base da fé.

    Outras Hiperligações

    Uma Breve Biografia de Ellen G. White Sobre o Estado de Ellen G. White

    Contrato de Licença de Utilizador Final

    A visualização, impressão ou descarregamento da Internet deste livro garante-lhe apenas uma licença limitada, não exclusiva e in- transmissível para uso pessoal. Esta licença não permite a republica- ção, distribuição, atribuição, sub-licenciamento, venda, preparação para trabalhos derivados ou outro tipo de uso. Qualquer utilização não autorizada deste livro faz com que a licença aqui cedida seja terminada.

    Mais informações

    Para mais informações sobre a autora, os editores ou como po- derá financiar este serviço, é favor contactar o Estado de Ellen G.

    i

    http://www.egwwritings.org/ebooks http://www.whiteestate.org/about/egwbio.asp http://www.whiteestate.org/about/estate.asp

  • White: (endereço de email). Estamos gratos pelo seu interesse e pelas suas sugestões, e que Deus o abençoe enquanto lê.

    ii

  • iii

  • Prefácio

    Em tempos antigos, quando Jerusalém estava para ser recons- truída, o profeta, em visão, ouviu um mensageiro celestial dizer a outro: “Corre, fala a este jovem.” Zacarias 2:4. Hoje, da mesma forma, cada jovem do movimento adventista tem um importante papel a desempenhar no drama final da história terrestre.

    “O Senhor designou a juventude para ser Sua mão ajudadora.” — Testimonies for the Church 7:64.

    “Com tal exército de obreiros como o que poderia fornecer a nossa juventude devidamente preparada, quão depressa a mensagem de um Salvador crucificado, ressuscitado e prestes a vir poderia ser levada ao mundo todo!” — Educação, 271.

    Aos jovens do movimento adventista vieram mensagens como essas, mediante o Espírito de Profecia, desde o começo de nossa obra. A pessoa escolhida pelo Senhor, para a manifestação desse dom, Ellen G. White, era uma jovem de apenas dezessete anos, ao iniciar seu trabalho. Conhecia as lutas de todos os adolescentes e jovens contra os poderes das trevas e também conhecia a vida de vitória em Cristo. Ela escreveu muitas mensagens de instrução, simpatia, repreensão e encorajamento, diretamente dirigidas aos jovens. Esses textos sempre tiveram o objetivo de encaminhar a mente da juventude para Cristo e Sua Palavra.

    Em 1892 e 1893, foram dadas mensagens específicas, sugerindo que os jovens deveriam ser organizados em grupos e sociedades, para o serviço cristão. Surgiu, dessas instruções, a Sociedade dos Missionários Voluntários Jovens, chamada atualmente de Jovens Adventistas.[6]

    Conquanto muito do que a irmã White escreveu para os jovens tenha sido publicado em livros, diversos artigos que apareceram no The Youth’s Instructor e em outras revistas, não foram preservados de maneira permanente. Essas instruções são um precioso legado e devem estar em mãos de todos os jovens de hoje. Tudo o que ela escreveu nesses periódicos foi examinado, desde o início de seu

    iv

  • trabalho, e foram selecionadas as matérias que têm a ver com os jovens e suas necessidades. Incluímos também muita matéria já em formato de livro, mas não largamente difundida entre os jovens.

    O primeiro trabalho de seleção foi, em grande parte, feito pelo professor J. F. Simon. Foi então submetido ao pastor W. C. White, que fez valiosos acréscimos e sugestões. Afinal, foi cuidadosamente organizada pelo professor H. T. Elliott. Espera-se que o interesse dos jovens, neste livro, os induza a um cuidadoso estudo de todas as mensagens transmitidas à igreja remanescente, pelo Espírito de Profecia.

    É nossa mais fervorosa oração que estas mensagens sejam uma grande força aos jovens do movimento adventista de todo o mundo, no aperfeiçoamento do caráter cristão e em dar novo impulso para a conclusão de nossa grande tarefa — “A Mensagem do Advento a Todo o Mundo nesta Geração”. [7]

  • Conteúdo Informações sobre este livro . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . i Prefácio . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . iv

    Seção 1 — O propósito de Deus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 21 Capítulo 1 — A formação do caráter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 22

    Amigo fiel . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 23 Capítulo 2 — Um chamado aos jovens . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25

    Chamados a um alto destino . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 25 Portadores de luz . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 26 Alimentar idéias amplas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27 O chamado para o alistamento . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 27 Elementos essenciais do caráter . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 28

    Capítulo 3 — Como agradar a Deus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 29 Capítulo 4 — Regras do sucesso . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30

    Fiel integridade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 30 Consagração completa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 Manifestar a liberdade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 31 Entrega completa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 32 A escolha do destino . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33 Perguntas que ajudam . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33

    Capítulo 5 — Dia da oportunidade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35 Obreiros necessários . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 35 Nossa fonte de eficiência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36 Justiça interior . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 36

    Capítulo 6 — Alvo elevado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38 A religião é a base da vida . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 38 Elevadas responsabilidades . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39 A influência da religião . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 39 Nossa mordomia de talentos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 40 Elevado ideal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41 Condutos da graça divina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 41

    Capítulo 7 — Normas de eficiência . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42 Habilitação para o serviço . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 42 Esperteza, não piedade . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 43 O instrumento escolhido . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 44

    vi

  • Conteúdo vii

    Capítulo 8 — Atingindo as alturas . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45 Progresso diário . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 45 Enfrentando obstáculos . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 46

    Capítulo 9 — Sociedade com Deus . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47 Alturas maiores . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 47

    Seção 2 — O conflito com o pecado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 49 Capítulo 10 — Poderoso inimigo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50

    Disfarçado . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 50 A batalha em favor de cada pessoa . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51

    Capítulo 11 — Características do conflito . . . . . . . . . . . . . . . . 53 O chamado para opor-se aos poderes do mal . . . . . . . . . . . . 53 A ajuda do Espírito Santo . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54 O preço da vitória . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 54

    Capítulo 12 — Esforço especial de Satanás . . . . . . . . . . . . . . . 56 Confiança própria é fatal . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57 Destruição da confiança . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 57 Domínio da mente . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58 Levantada a cortina . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 58

    Capítulo 13 — Tentação não é desculpa . . . . . . . . . . . . . . . . . . 60 Capítulo 14 — Fortaleza . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61

    Na força do Senhor . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 61 Capítulo 15 — O templo da alma . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 63

    O ideal de Deus . . . . . . . . . . . . . . . . . . .